domingo, 24 de julho de 2011

"Medo do medo que dá"

http://migre.me/j26vE

Sou medrosa.

Aquela pose de mulher corajosa e forte definitivamente não faz meu tipo. Eu finjo. Mas finjo mal.

Morro de medo de abelha. Tenho pesadelos constantes com ondas gigantes. Odeio o jeito com que as lagartixas se movem. Quando era pequena, ia ao banheiro à noite e voltava correndo pra cama.

Fecho os olhos e tampo os ouvidos chorando quando vejo os outros brigando. Dirigir a mais de 70 km/h me dá friozinho na barriga. Tenho pavor de água-viva. Saio correndo de mariposas.

Tenho o maior medo de perder quem eu amo. Tenho o maior medo de me perder de quem eu amo. Tenho o maior medo de me perder.

Acho que em cada medo, algo se revela. Não descobri o que significam a maioria dos meus. Ainda bem.

Meus medos me justificam. Dou risada da maior parte deles todos os dias.

Mas esse medo aqui, que eu sinto quando você vai embora, não tem graça nenhuma. É medo de você não voltar. Medo de você se cansar da história antes do último parágrafo. Medo de que exista mesmo um último parágrafo.

Desse medo eu queria me livrar. 

Então, por favor, promete que vai voltar sempre?

2 comentários:

  1. Não sinta medo disso!!!
    É uma coisa TÃO pequena!
    é só fingir que não está vendo
    e além disso
    lagartixas não mordem! ;P
    hauahauha....brinks
    Parabéns pelo texto! ;D

    ResponderExcluir
  2. Lindo, Bá!
    Me identifiquei com a maioria desses medos =x hahaha
    Parabéns!

    ResponderExcluir

Diz o que achou :)