sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Sintomas



As pernas bambeiam, sempre. As pontas dos dedos ficam geladas e freqüentemente eu começo a tremer. Alguns dizem que é exagero. Às vezes eu concordo.


A boca seca instantaneamente. Tem horas que até a visão embaça. Sim, suo frio. Tenho vontade de correr, mas minhas pernas não respondem aos meus impulsos. Não falo o que penso, não penso o que falo.

Fico sempre sem saber pra onde olhar, o que fazer, o que falar. O frio na barriga de ansiedade é natural. Não sei onde coloco as mãos. As palavras fogem. E o coração? Aperta.
 Tudo em um milésimo de segundo. Rápido e certeiro. Atinge como uma flecha, daquelas que tem alvo definido, sabe?

Não, não é amor.

Também não é tristeza, não é raiva, e talvez não seja decepção. Mas não é bom. É um tanto quanto triste de se sentir. É como quebrar uma peça de vidro, daquelas que por mais que você cole os cacos, não voltará jamais a ser tão bela.

E dói. Dói. Dói. Dói. Quase mata.

2 comentários:

  1. Aah... já senti isso tantas vezes... O garganta parece dar um nó, não parece? E o calafrio? Metálico, indescritível.
    É... já senti isso várias vezes.

    Belo texto.

    ResponderExcluir
  2. É, são exatamente esses sintomas. E agora? rs.

    Muito bom, Bá!

    ResponderExcluir

Diz o que achou :)