quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Doce remédio



Ontem, enquanto caía uma tempestade lá fora, resolvi sair do sofá e ir até a cozinha. Enquanto minha mãe perguntava se eu estava cometendo o crime de ir ao banheiro justo na hora em que ela ia tomar banho, peguei a caixa de leite condensado e o resto de Ovomaltine no armário. “Não mãe, só vou comer”, respondi.

Olhando enquanto eu misturava os dois ingredientes mais doces que eu havia encontrado em casa, ela perguntou se eu estava ansiosa. Rindo, eu disse que sim. Ela não perguntou o motivo. Minha mãe costuma me fazer várias perguntas, mas as de resposta óbvia ela costuma me poupar. Seria bobagem perguntar o motivo de eu estar ansiosa. Santo Deus, quando é que eu não estou?

Quando eu era pequena não conseguia dormir antes do primeiro dia letivo do ano na escolinha. Também passava a noite em claro antes dos passeios e excursões  e jamais consegui cochilar durante as nove horas de viagem que fazia dentro de um ônibus quando ia visitar minha tia no Paraná. A ansiedade é parceira de anos, que novidade há?

A novidade é que parei de achá-la tão ruim. Com os passar dos anos aprendi a lidar com ela me empanturrando de doces. Hoje fico feliz por ter tido anos de ansiedade a flor da pele. Ninguém fica ansioso por coisa ruim. É bom saber que tive muitas coisas boas pelas quais esperar.

Ainda não durmo algumas noites e sinto aquele frio na barriga de ansiedade com bastante freqüência, mas o motivo é outro. Acho que a única coisa pela qual eu realmente sempre esperei já chegou.

Todo o resto, o meu leite condensado com Ovomaltine resolve.

Um comentário:

  1. Haha, muito bom. Mas discordo com relação a uma coisa: é possível ficar ansioso por coisas ruins.
    Não sou lá muito ansiosa, durmia antes do primeiro dia de aula.
    A maioria das minhas ansiedades é baseado em coisas ruins.

    ResponderExcluir

Diz o que achou :)