quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

"Sob um leve desespero.."



Hoje eu decidi que não vou enlouquecer. Simples assim.

Eu me olhei no espelho depois do banho e vi a linha entre a sanidade e loucura cada vez mais tênue. Haviam sinais no meu corpo, nos meus olhos, na minha mente. Mente, que mente? Quem mente?

Ah, lembrei. Eu minto. Minto pra mim todos os dias quando digo que está tudo bem, enquanto os sinais só ficam mais fortes. Hoje, pela primeira vez, eu tive coragem de falar em voz alta, e os dois olhos de quem me ouvia se fixaram em mim, amedrontados.

Ninguém bota fé, é verdade. Eu mesma, só boto nos momentos de desespero. Nos outros eu tenho medo, medo de que um dia eu bote fé demais, e esqueça de esquecer, de acalmar, de voltar ao meu limite.

Limite? Onde foi que ficou o meu? Eu já extrapolei todos eles, como se fossem cordinhas finas de náilon. Brinquedo pra criança. Brinquedo perigoso. Eu preferia não brincar.

Hoje, eu resolvi deixar ele de lado. Resolvi segurar forte as rédeas da sanidade, antes que o momento de desespero vire a eternidade. Hoje eu decidi não perder o controle.

Desculpa, mas eu não vou enlouquecer. Por mim, só dessa vez.

2 comentários:

  1. Que delícia sentir que certos sentimentos não são exclusividade nossa. Amei, Bá!

    ResponderExcluir

Diz o que achou :)