quinta-feira, 29 de março de 2012

Por quê não você?



“Como são admiráveis as pessoas que nós não conhecemos bem.”
(Millôr Fernandes)

Tá aí. Esse foi o início. Tudo seria diferente se eu soubesse ter respondido essa questão. Hoje eu enxergo que a falta de resposta pra ela não foi apenas o motivo do início, mas principalmente, o da enorme demora pra que tudo chegasse ao fim.

Então hoje, depois de tantos textos bonitinhos, de músicas melosas, de declarações românticas e todo aquele discurso de gente apaixonada, eu resolvi responder essa pergunta. Pra mim mesmo.

Eu queria ser superior e esconder a minha dor. Quis me privar de escrever qualquer linha sobre o assunto, pra que simplesmente não doesse. Mas imaginem só, qual não foi a minha surpresa, quando eu resolvi escrever simplesmente porque NÃO DÓI MAIS.

É, não dói mais. Ás vezes aperta, pinica, incomoda, mas DOER, doer não dói. E não dói porque hoje eu tenho uma lista imensa de respostas pra essa maldita pergunta que você, o Leoni, e o universo me fizeram há meses atrás: “por quê não você?”.

Mas eu não vou responder isso aqui, ou pra qualquer outra pessoa que não seja meu próprio eu. Por experiência própria, eu sei que ninguém acredita sem sentir na pele. Eu mesma não acreditei quando me deram o mapa completo do abismo no qual eu me joguei. Vou simplesmente me contentar em ter finalmente respondido a pergunta que foi o motivo da cegueira que me acometeu todos esses meses.

Me contentar em ter aprendido a lição.

Eu sei que a música é linda, a voz do Leoni é maravilhosa, e a empatia é instantânea. Mas se eu pudesse dar um só conselho para o mundo, seria: NÃO CAIAM NESSA!

Tentem analisar friamente a situação. Qual a chance de você achar defeitos em um cara lindo, que te trata bem, que te elogia, e que tá louco pra te conquistar? Ok. Agora mais. Qual a chance desse cara continuar sendo a mesma pessoa depois dele já ter te conquistado? É que mora o perigo.

Chega desse lance de achar que só porque no momento você não vê motivos pra não se apaixonar por essa pessoa, você não os verá depois. Não vai se jogando assim, de cabeça, achando que achou o cara da sua vida em uma semana. Por mais contos de fadas que você tenha lido, acredite, as coisas não funcionam assim na vida real.

Eu não tô aqui dizendo que todo cara legal no começo é um monstro no fim, longe de mim. Mas, cá entre nós, você mesmo não é tão simpática, bem-humorada e divertida depois de dias, meses, anos de convivência. Então simplesmente NÃO JOGUE TUDO PRO ALTO pela emoção do início. Quem bebe água com muita sede, geralmente se engasga.

Na primeira semana o cara não vai mostrar todas aquelas coisas que as pessoas vão demonstrando ser com o passar do tempo. E isso não é errado. Faz parte da conquista, do jogo, da tática de sedução. Não é crime nenhum fingir ser a pessoa mais legal do mundo. 

Sei que parece ceticismo - e graças à Deus é exatamente isso -, mas crime é você se jogar de cabeça e mergulhar num mundo que você simplesmente não conhece só porque o cara PARECE ser o homem da sua vida. Ele pode simplesmente não ser. 

Então, faz o seguinte. Não use filtro solar, não trate bem seus irmãos, não more em Nova York nem no Hawaí, como aconselha Pedro Bial. Mas por favor, entenda bem a frase do Millôr Fernandes com que esse texto se inicia.

Tá aí algo que realmente evita sofrimento.
(fim)

4 comentários:

  1. Tá conseguindo ouvir meus aplausos daqui? hahaha

    ResponderExcluir
  2. "Eu mesma não acreditei quando me deram o mapa completo do abismo no qual eu me joguei."

    Fico muito feliz em saber que agora acabou. Você é outra pessoa. Alguém diferente e melhor a ponto de refletir, escrever e rir de tudo que aconteceu!

    te amo amiga ♥

    ResponderExcluir
  3. Da série "Textos que devem ser levados como mantra"! Parabéns, Bá!

    ResponderExcluir

Diz o que achou :)