domingo, 22 de abril de 2012

Os pedaços que deixei por aí

http://migre.me/8N09l 
“Há quanto tempo eu não me via assim
Me dividindo tanto, e tão inteira”
(Carla Franco)

Tá na hora de aprender a encerrar ciclos. De fechar portas. De apagar a luz. De colocar pontos finais. Sem essas de vírgulas e reticências, sabe?

Eu cansei de deixar rastros pelo chão e achar que eles me farão lembrar o caminho de volta. Eu não quero voltar. E não suporto mais tudo que me impede de partir.

Cansei das coisas inacabadas que me deixam incompleta. Queria só por uma vez deixar partir tudo que me prende ao que eu não quero, ao que eu não preciso, ao que não me pertence.

E há tempos não me sinto inteira, assim, completa. É como se em cada etapa inacabada ficasse uma parte de mim, e eu continuasse andando, despedaçada, por aí. E eu sinto saudade das coisas que eu deixei pelo caminho. Me fazem falta os pedaços de mim que eu deixei vagando em algum lugar.

Não dá mais pra adiar a dor. Não dá mais pra poupar a mim e a quem quer que seja. Não dá pra me desmantelar inteira pra deixar outrem inteiro. Eu preciso de mais. Eu preciso de mim.

Tá na hora de aprender a dizer adeus para o medo, para o passado, para as lembranças, para você. De partir sem te pedir pra me esperar. De te deixar ir sem esperar você voltar.

É quase como limpar a casa, jogar fora as fotos antigas, as roupas usadas, os móveis velhos. É deixar ir embora o que não tem mais motivos pra ficar. Limpar a alma.

Vai doer. E que doa. 

É bem mais fácil doer inteira. Bem mais fácil sofrer com cada parte, cada resto meu. 

Desculpe. Tá na hora de pegar de volta os pedaços de mim que eu emprestei por aí. 

Um comentário:

  1. "É deixar ir embora o que não tem mais motivos pra ficar."
    E se não tem mais razão nem motivo, é porque não é mais necessário!

    ResponderExcluir

Diz o que achou :)