terça-feira, 25 de setembro de 2012

Se fosse fácil...

casal sentado amor
http://migre.me/aRnvE

Sempre acho que a parte mais difícil de se relacionar com outras pessoas é o fato de aceitar que elas são mesmo OUTRAS pessoas. Elas não vão ter as mesmas atitudes, ações e reações que você, e muitas vezes podem tomar decisões completamente diferentes das que você espera.

Se você realmente ficar esperando que todos à sua volta ajam da mesma forma que você, a decepção vai ser simplesmente inevitável. É importante entender que quando nos envolvemos com outro alguém, estamos nos envolvendo com outro universo e realidade.

Mesmo porque, a gente tem mania de achar que conhece os outros, exatamente por achar que eles não podem ser tão diferentes de nós e da nossa expectativa. Mas acreditem, eles podem! Você pode se surpreender ao descobrir quão diferentes as pessoas nesse mundo podem ser.

É claro que é impossível não criar expectativas sobre quem está ao nosso redor. Quando nos relacionamos com alguém, achamos que o nosso maior desafio é descobrir exatamente quem essa pessoa é. Puro engano! O difícil é saber o que fazer depois da descoberta.

O complicado é sair por aí culpando os outros só porque eles não são como você espera. É culpar alguém que em uma situação não agiu como você agiria. A linha entre os seus valores e o do resto do mundo pode ser tênue, mas ela existe.

Esse é um dos maiores e mais difíceis desafios de uma relação, porque exige tempo e paciência. Tem gente que simplesmente desiste quando percebe que o alguém do outro lado tem vida própria.

Acho que leva um tempão de discussões, desentendimentos e reflexão pra duas pessoas chegarem num ponto em comum. Naquele momento em que você cobra que o outro faça o certo, e não o que você faria no lugar dele. No ponto em que você respeita o jeito e as decisões dele e vice-versa.

Quando você convida alguém para entrar no seu mundo, você tem que estar consciente que ele fará parte dele, mas não se tornará igual a ele, entende? E vai ser preciso paciência – e muito respeito – até que esse alguém se encaixe da maneira certa em seu lugar, sem perder a essência e sem corromper a sua.

Afinal, se fosse fácil, não era amor...

4 comentários:

  1. Eu costumo dizer que sempre espero demais dos outros, mas na verdade espero é que eles ajam como eu agiria.
    Como se eu fosse um modelo perfeito a seguir. Na verdade, é mais cômodo e fácil de entender. E mesmo assim, nem eu me entendo, é um paradoxo cansativo demais.
    Vou guardar esse texto pra ler em tempos de crise. Porque eu sei que é amor.

    ResponderExcluir
  2. Mari, eu ando lendo relendo eles. Só a gente sabe o quanto é difícil lidar e entender outroas pessoas e seus outros mundos. É um exercício constante!

    ResponderExcluir
  3. Olha eu aqui de novo. Não me lembrava de ter comentado ou lido esse texto, e 9 meses depois do comentário...não é que é, e sempre foi amor, mesmo? Finalmente, depois de um tempão de desentendimentos como você descreveu, chegamos no ponto de nos entendermos melhor e nos respeitarmos. Mas é claro que a gente não chega nisso e pronto, tudo vai ser lindo daí pra frente, para sempre. Não é fácil, mesmo e se fosse fácil, não era amor... :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, Mari... nunca deixa de ser difícil exatamente por isso. Que bom que estamos evoluindo nesse caminho perene, mas tão maravilhoso! ♥

      Excluir

Diz o que achou :)