quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Incertezas

menina deitada pensando
http://migre.me/c0EYG

Será que felicidade e decepção são proporcionais? Sei lá... Estive pensando se a pessoa que mais te faz feliz no mundo pode ser aquela que mais te decepcionará, caso faça isso.

A gente espera muito de quem a gente ama, né? A gente acha que quem gosta da gente não pode errar nunca. Acha que quem está do nosso lado tem que proteger a gente de todo mal, e fazer tudo pensando no nosso bem. Mas realmente, as pessoas são humanas e erros também são. 

Esse é um texto cheio de perguntas. Faz dias que eu acordo sem qualquer tipo de resposta para as dezenas de incertezas que a última semana trouxe.

Um dia desses, me disseram que librianos são instáveis. Tive que concordar. Agora, mais do que nunca, sou a instabilidade em pessoa. Nuvens escuras encobrem meu céu azul diariamente, assim como encobrem meu bom humor e minha certeza de que tudo vai ficar bem.

Mais do que instáveis, librianos são justos. Não à toa, somos representados por uma balança. O problema de ser justa demais, é que ninguém é justo assim com a gente.

Nos últimos dias, tenho acordado cansada de tanta justiça. Eu estou longe de ser a pessoa mais correta e perfeita do mundo, mas a minha mania de ser legal com quem não merece anda machucando, sabe? Nas últimas vezes em que quis proteger quem eu gosto – ou quem eu achava que merecia - de algum tipo de mal, recebi de volta uma rasteira daquelas que derrubam de verdade.

Perdi a confiança nesse mundão aí fora. Todo mundo só olha para o próprio umbigo, então por que logo eu tenho que me preocupar com a humanidade?

As poucas, ou a única pessoa em quem eu confiava de verdade, me decepcionou. Besteira minha esperar que alguém tenha comigo as mesmas atitudes que eu teria com ele. “Expectativa gera decepção”, Bárbara.

O que dói é que há alguns meses eu estava exatamente do mesmo jeito: descrente do mundo. Mas quando aparece alguém pra te dar a mão... Bom, você vê uma luz no final do túnel. E aí você acha que é o Sol, mas algo te faz pensar que pode ser só uma lâmpada. E a diferença é que lâmpadas queimam e se apagam. E agora?


Faz alguns dias que eu não durmo direito. A única lição que consegui absorver até agora foi a de nunca mais duvidar da minha intuição. De resto, é tudo confuso. Não sei o que é real, exagero, fantasia. 

Não consigo mais distinguir verdades de mentiras, e é realmente torturante viver assim, sem saber no que acreditar e em quem confiar. É o tipo de coisa que tira o chão. Por mais que a vida seja sempre repleta de incertezas, há algumas coisas nas quais precisamos acreditar para sobreviver.

Librianos também costumam ser indecisos, mas dessa vez, não me parece essa é a questão. É como se às vezes eu soubesse exatamente o que fazer, mas não tivesse coragem. Em outras, pareço serena e decidida nas minhas escolhas, mas caio em desespero por não saber se aquilo é mesmo o correto. Não quero magoar ninguém, mas aqui dentro está tudo em cacos. A única coisa que prometi a mim mesma é sinceridade comigo e com os outros.

Um dia desses me disseram que eu sou forte. Pode ser que sim, mas a única coisa que eu venho pedido encarecidamente é um colo seguro para as minhas fraquezas.

Segurança. Alguém sabe onde vende?

3 comentários:

  1. Vendo a minha alma em troca de um colo seguro para as minhas fraquezas e um punhadinho de segurança, também.

    Se você tá caco, eu to pó.

    Toca aqui, garota! o/

    ResponderExcluir
  2. Em um post no meu blog eu escrevi isso uma vez: "Porque eu não podia me esquecer que o que brilhou não era Sol, era lâmpada que eu olhava como a mais ofuscante estrela."
    A gente tem essa mania mesmo de ver brilho demais onde nem sempre tem e acaba ficando meio desnorteada quando apaga e a gente fica no escuro. Mas o que eu também digo nesse post é que mesmo cambaleando a gente segue em frente, devemos seguir. Essa é a beleza da vida, Bá, mesmo em cacos a gente ainda consegue seguir em frente e descobrimos nossa força, nossa alegria, esbarramos em algo bonito.

    Enfim, ótimo texto, como sempre e me identifico em muitos trechos também.

    E ah, talvez seja Sol mesmo, só que tem muitas nuvens negras atrapalhando a visão... quem sabe? Só o tempo vai dizer.

    ResponderExcluir
  3. Obrigada, meninas!

    Espero que mesmo em vezes como essa, onde a gente fica no escuro sofrendo, esperando a luz acender novamente, a gente consiga sentir em frente!
    Afinal, é pra frente que se anda!

    ResponderExcluir

Diz o que achou :)