quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

(Des)Controle

menina sentada campo
http://migre.me/d2xHv

Dizem que tudo na vida é uma questão de escolha. Até aí, tudo verdade. São nossas opções que moldam nosso caminho, nosso destino e nossa performance nessa vida. Somos responsáveis pelas nossas atitudes e por todas as consequências que elas trazem na bagagem.

Mas tem apenas uma coisa em que a gente não manda: no coração. E hoje, eu queria dizer uma coisa sobre isso: GRAÇAS Á DEUS!

É. Eu sei que seguir o coração muitas vezes nos coloca em situações difíceis. Sei que na briga entre razão e emoção, o primeiro caminho sempre é mais livre de dor e obstáculos. Mas alguém já parou pra pensar no absurdo que seria se conseguíssemos controlar nossos sentimentos?

Primeiro: se você mandasse no seu coração, ele se fecharia completamente na primeira decepção. É sempre assim... Você vai, ama, se entrega, se ferra, e deseja nunca mais se apaixonar na vida. Qualquer um que tivesse esse poder faria essa besteira assim que pudesse, depois da primeira briga ou do primeiro término. Que erro!

Se a gente mandasse mesmo no coração, perderíamos um zilhão de oportunidades de ser feliz. E mais: se a gente mandasse no coração, perderíamos um zilhão de oportunidades de aprender com as enrascadas em que ele nos mete.

Se pudéssemos blindar nosso coração de qualquer sofrimento, blindaríamos ele de muitas chances de ser feliz. Que atire a primeira pedra, por exemplo, aquele que nunca se apaixonou por alguém que te consolou quando você estava sofrendo por outro alguém. Que se manifeste quem nunca se apaixonou perdidamente depois de achar que não sabia – e não conseguiria – mais amar.

A vida, graças à Deus, não para pra gente sofrer. Ela segue independente da nossa vontade, e o nosso coração segue junto, mesmo que a gente não queira.

A gente se apaixona pela pessoa errada, confia em pessoas que não merecem, quebra a cara depois de nos entregarmos de corpo e alma, sim. Mas depois tudo recomeça, e a vida nos dá milhares de novas chances de fazer tudo dar certo. Graças à Deus que a gente, num momento de dor, não joga tudo isso fora por puro medo de sofrer.

Acho que o cara lá em cima sabe o que faz, e se ele não deixou nas nossas mãos o direito de controlar nossos sentimentos, deve ser por um bom motivo. E pra não acharmos ele tão mau, ele nos deu de presente uma dádiva bem mais sábia: o tempo.

Sabe essa dor que tá explodindo no seu peito agora? Vai passar. E ainda bem que você não pode fazer nada pra controlar isso.

Um comentário:

Diz o que achou :)