terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Sonhando acordada


menina dormindo cama

"Tenho um sonho em minhas mãos
Amanhã será um novo dia
Certamente eu vou ser mais feliz"
(Caetano Veloso – Sonho)

Faz alguns meses que eu não caio dignamente nos braços de Morfeu, e com tanto tempo livre nas minhas noites - ou quando acordo de meus tão frequentes pesadelos – acabo tendo tempo de sobra pra pensar nas traquinagens e curiosidades que o sono e os sonhos escondem.

Pra começar, eu realmente queria saber se só eu, quando sonho que estou chorando, acordo com o peito carregado e com uma sensação enorme de que estou sem ar, me afogando realmente em lágrimas. É tão real que eu quase choro de verdade quando acordo, só pra aliviar a tensão.

Depois, eu preciso confessar que tenho o péssimo hábito de acordar brava de verdade com qualquer um que me faça mal durante o sonho. Brigou comigo, me traiu, fez besteira? Infelizmente, não há o que eu possa fazer: ganhou de presente algumas horas do meu mau humor matinal.

Além do mais, tem aqueles dias em que eu acordo de um sonho tão estranho, que antes mesmo de levantar da cama já estou no celular, pesquisando no Google o significado de tamanha surrealidade. Nem acredito muito nisso, mas não custa dar uma espiada, né?

Sempre tive sonhos recorrentes, em várias fases da vida: cachorros me atacando, carros prestes a me atropelar, ondas gigantes se aproximando. O Brad Pitt me cantando que é bom, nada, né? Pesadelos aqui sempre foram coisa frequente.

Teve aquela época em que eu achava que podia controlar tudo. Era só dormir pensando em algo ou alguém, e – pronto! – lá estava ele a me visitar durante a noite. Deu certo por um tempo, mas nada que é bom dura muito.

E pior! Sabe aquele papo de “não conseguir voltar pro sonho”? Pasmem! Eu consigo – mas só para pesadelos. Minha vida noturna é mesmo uma piada! De normal mesmo, só aquele lance de perceber que é um sonho e acordar rapidinho quando ele não está agradável, graças a Deus!

Às vezes sonho com o passado e acordo com uma saudade imensa de voltar no tempo. Sonho com coisas que nunca aconteceram e fico me perguntando se aquilo não é o meu subconsciente respondendo a velha pergunta do “e se?”. Tem sonhos que são quase avisos, outros são intuição. E acho que alguns são só meu subconsciente tirando folga do inferno que é viver na minha mente incansável durante o dia.

Mas ainda que nem sempre sejam bons, sonhos são combustível para a vida. Se não, são no mínimo, histórias pra contar. Quiçá assuntos de posts para o blog, não é mesmo? Então, Morfeu, volta pra mim, de preferência com sonhos que remetam a céu azul e algodão doce. O escuro, eu quero que seja só o da noite. 

Um comentário:

  1. A partir de fevereiro os sonhos e pesadelo vão acabar. Não haverá tempo para esse luxo haha.

    ResponderExcluir

Diz o que achou :)