quarta-feira, 13 de novembro de 2013

Meus clichês juvenis

http://migre.me/gCpmt

“I could never change just what I feel
My face will never show what is not real”
(I Could Have Lied – Red Hot Chili Peppers)

Eu poderia dizer que se eu pudesse voltar no tempo faria tudo outra vez. Mas soaria tão clichê... E eu odeio clichês. Se eu realmente pudesse voltar no tempo, faria exatamente isso: fugiria deles.

Eu faria tudo que foge do comum e do normal. Deixaria a inocência, a meiguice e a velha diplomacia de lado.

Eu gritaria. Eu gritaria o que eu nunca pude ou consegui gritar. Eu gritaria porque hoje, por nunca tê-lo feito, gritos são o meu maior trauma.

Se eu pudesse voltar no tempo, eu ficaria amiga dele. Talvez, se fôssemos cúmplices, ele não corroesse meu íntimo como corrói hoje. Talvez eu fosse menos ansiosa, quiçá um pouco mais feliz

Se fosse para voltar aos meus 15 anos, eu me importaria menos. Talvez eu fizesse as mesmas coisas, mas sem culpa, sem moralismo, sem retidão. Ah... Se eu pudesse voltar nos meus 15 anos eu talvez ficasse por lá.

Se fosse aos 18, eu seria menos impulsiva, mais racional. Ou não. Talvez eu cometesse os mesmos erros apenas porque eu amo ser passional. Eu sempre amei, afinal.

Se eu pudesse voltar no tempo, eu agradeceria aqueles caras. Os que cuidaram bem de mim e os que me apresentaram o que há de ruim. Para alguns eu pediria desculpas; para outros eu diria, aos risos, que eles são uns babacas – uns babacas pelos quais eu me apaixonei perdidamente, mas ainda assim, uns babacas.

Sem a menor dúvida, dedicaria mais tempo à minha família. Eu teria beijado mais meu avô, seria a melhor amiga da minha avó, e teria mais paciência com as preocupações da minha mãe – que sempre tiveram motivo, é bom lembrar.

Eu rolaria no chão com a minha cachorra sem reclamar das suas lambidas. Eu deixaria ela babar na minha roupa e no meu edredom, e não ouviria minha avó reclamar de quando eu a beijasse.

Se eu pudesse voltar no tempo, eu diria certas verdades que eu nunca fui capaz de dizer. Eu olharia com mais cuidado – e desprezo – para pessoas que amei.

Eu aprenderia a dizer “não”. Nossa, que bênção! Eu não seria boazinha, submissa e quase servil. Eu aprenderia a dizer “não” e dezenas de sofrimentos nem começariam. Talvez eu dissesse alguns “sim” também...

Se eu pudesse voltar no tempo eu diria aos meus amigos – principalmente ao que se foi – que eles ainda seriam responsáveis por tudo que eu seria. E eles são.

Mas, ainda que eu devaneie horas sobre isso, não há maquina, poção ou mágica que me faça voltar nos anos.

E ainda que houvesse, seria um jogo perigoso. Cada lembrança, cicatriz e aprendizado está eternizado em mim. Mais do que isso, fez o que eu sou hoje e traçou o caminho que eu segui. E eu adoro o lugar em que eu cheguei.

Se eu pudesse voltar no passado, por um segundo que seja, eu o transformaria em algo que ele não é, e me transformaria em um pessoa que provavelmente eu não quero ser.

Tudo que houve e ficou para trás é meu. Tão meu que SOU EU.

Acho que se eu pudesse voltar no tempo eu agradeceria por tudo que eu ainda estaria por vir.

E não há jeito mais clichê de terminar esse texto; há?

* Esse texto foi escrito especialmente para uma promoção do blog Depois dos Quinze e da editora Gutenberg.

12 comentários:

  1. Nossa gostei , ah também estou participando desse concurso comecei o começo bem mas estou com medo de termina o final mal mas basta eu pensar um pouquinho que eu chego , adorei os seus clichês juvenis mas engraçado que em um certa eu me identifiquei sabe ?
    Bom adorei apenas :D
    omundinhoquaseperfeito.blogspot.com.br
    Bjs da Ketty ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ketty, muito obrigada pela visita!
      Adorei a ideia do concurso. Boa sorte pra nós, né?
      Seu blog é muito fofo!
      Volte sempre! :')

      Excluir
  2. Ah, clichês. Meus favoritos. haha Sou nova aqui, adorei os textos, tão inspiradores :) Estou participando, beijos!

    Não sabe o que usar na formatura? A gente te ajuda! | Que look vocês usariam?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Letícia!
      Volte sempre que quiser! :')
      Eu estou acompanhando o seu também. Adorei!
      Beijinhos.

      Excluir
  3. Ah, um brinde aos clichês, que estamos sempre reclamando, mas não vivemos sem!
    Adorei o seu texto, você tem bastante talento, não sei se o resultado do concurso já saiu, mas Boa Sorte.

    http://docedesetembro.blogspot.com.br/
    FB

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, Lívia!
      Volte sempre que quiser! :')

      Beijinhos.

      Excluir
  4. Gostei a maioria já passou por algumas coisas semelhantes a você eu sou uma. Bjos
    http://putztobela.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Angélica! Que bom que se identificou. Volte sempre! =)

      Excluir
  5. Acho que todo mundo se identifica, já viveu algo do tipo, seu texto expressou muito bem esses sentimentos! Parabéns!
    fb
    belezanomundo.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, Nadja! É sempre com encontrar quem se identifique conosco de alguma forma.
      Volte sempre que quiser! ;')

      Excluir
  6. Nossa que lindo.
    Me emocionei aqui lindo mesmo.
    É sempre bom encontrar historias de amizades tão intensas assim.
    Parabéns flor.
    FB
    http://loveandei.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Marina! Acho que você está falando do post acima desse, não é? Rs.
      Muito obrigada! Volte sempre que quiser. :')

      Excluir

Diz o que achou :)