terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Felicidade pessoal

http://migre.me/hxxTk

“O que você faz quando ninguém te vê fazendo?
Ou o que você queria fazer se ninguém pudesse te ver?”
(Capital Inicial – Quatro Vezes Você)


Foi fazendo um workshop de circo ontem, com 21 anos, nenhuma experiência prévia ou companhia para pagar mico, que eu descobri que é possível ser feliz sozinho.

Tá. Não tô dizendo que dá pra passar uma vida inteira conversando com o espelho ou sem um abraço gostoso no meio da noite, seguido de um beijo no raiar do dia. Mas que dá pra encontrar grande parte do que a gente precisa dentro da gente, dá.

Da coragem para dar uma cambalhota depois de anos, ao orgulho de fazer uma acrobacia que nunca imaginou conseguir. Claro que isso é só metáfora, mas não é lindo ver que a gente consegue se realizar sem precisar da aprovação dos outros?

Eu sempre tive – e ainda tenho – muito medo de frustrar os outros. Deixei de fazer dezenas de coisas pelo medo de tentar, errar, e acabar deixando alguém decepcionado. Eu ficava frustrada de qualquer jeito: por não tentar, e por errar. Vida meio triste essa minha.

Ontem, cercada de um monte de gente que eu não conhecia – e pra quem eu obviamente não devia nenhuma satisfação -, eu consegui relaxar e simplesmente deixar acontecer.

 “Ok, pode ser que eu quebre o pescoço tentando dar essa cambalhota estranha, mas vai ser divertido”. “Tá, pode ser que eu nunca consiga subir nas costas desse cara, abrir os braços e sorrir, mas eu quero tentar”.

E foi tão gostoso saber que se eu errasse, eu não decepcionaria ninguém!

Foi o tipo de coisa que me fez pensar em como somos maus no nosso dia a dia. Em como a gente tortura diariamente as pessoas exigindo e esperando delas boas ações, bons resultados, etc. Em como é um crime tirar a liberdade dos outros de errar, cair, estragar tudo.

Aquelas pessoas que estavam me vendo pela primeira vez na vida não tinham a maior expectativa sobre mim – talvez só a de que ninguém ficasse exigindo a atenção da professora toda hora, mas ok. Eu podia cair, podia dar risada, podia ficar tonta... Eles não estavam nem aí.

Óbvio que isso implica na possibilidade de ninguém bater palma quando você faz algo excepcionalmente bem – mas, acredite, você acaba se surpreendendo com a generosidade e bondade das pessoas que não conhece. Mas aí, você pode bater palma pra si mesmo.

Quantas vezes você já fez isso? Já se auto-congratulou sem que alguém fizesse isso também, te dando permissão para se sentir orgulhoso? É isso que eu chamo de “ser feliz sozinho”.

Eu acredito mesmo que a gente esteja nesse mundo para evoluir em conjunto, doando e recebendo dos outros. Mas também acredito que nada disso seja possível se a gente não conseguir encontrar em si mesmo um pouco de felicidade e paz.

Pode ser que ninguém te dê parabéns por algo que você acha super legal ter feito, e pode ser que todo mundo aponte seus erros e falhas como se você fosse incapaz às vezes. Acontece. Mas, se você olhar pra si mesmo e acreditar nas suas próprias emoções, esse monte de responsabilidade fica mais leve.

Ninguém está livre de frustrar um ou outro alguém – inclusive e principalmente quem a gente ama – de vez em quando. Mas o que dói mesmo é deixar frustrar-se por isso.

Eu recomendo que todo mundo faça um workshop de circo sozinho e sem experiência pelo menos uma vez na vida. Mas isso não é possível, claro. Por isso, eu só desejo que todo mundo viva, pelo menos uma vez, a experiência de ser feliz sozinho - seja em um insight de dois minutos, uma aula de duas horas ou uma viagem de um ano.

A gente só descobre quem a gente é de verdade quando não existe ninguém olhando.  

14 comentários:

  1. Estou pronta para começar a ser feliz sozinha, vou começar com a aula de duas horas e depois passo para uma semana de férias e quem sabe não vem a vigem de um ano...
    Seu texto é muito bom! Parabéns pela coragem =D
    bjkas
    FB
    http://dicasdeadolescentepraadolescente.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que lindo, Sarah! Espero que você encontre um momento só seu, em que descubra que a felicidade é pessoal e maravilhosa!
      Volte quando quiser! :')

      Excluir
  2. Essa nossa paranoia de achar que não podemos, porque os outros não vão gostar, não deixa que sejamos nós mesmo. Seus textos são ótimos Bárbara, me identifiquei bastante. FB

    http://giseleszarbo.blogspot.com.br//

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem razão, Gisele. E não tem nada mais gostoso do que ser o que a gente é!
      Muito obrigada, querida. Volte quando quiser!

      Excluir
  3. Fiquei estupefacto com este texto, esta maravilhoso! Sinceramente não sei o que dizer mais, só que podemos ser feliz sendo nós próprios!

    FB

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico muito feliz! O que importa é ser quem nós somos e encontrar nossa felicidade!
      Volte sempre!

      Excluir
  4. Se não nos sentimos felizes com a nossa própria companhia e descobertas não conseguimos ser felizes e nem fazer ninguém feliz.

    Lindo.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É exatamente o que penso, Ariana!

      Muito obrigada e volte quando quiser! :')

      Excluir
  5. Ser feliz é algo tão fácil mais ao mesmo tão difícil de ser.
    Felicidade é a chave para todos os problemas, e ser feliz sem precisar dos outros é o que todo mundo precisa.
    Beijos
    http://tentandoserfofa.blogspot.com.br/
    FB

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Temos que encontrar dentro de nós uma maneira de seguir feliz, não é?

      Volte sempre, Caroline!

      Excluir
  6. As complicações é a gente que faz! Muito corajosa vc!

    Martha Balieiro
    FB

    www.marthabalieiro,blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Martha! Somos todos corajosos, basta encontrar a coragem dentro de nós!

      Volte sempre!

      Excluir
  7. “Então fique sozinha, Liz. Aprenda a lidar com a solidão. Aprenda a conhecer a solidão. acostume-se a ela, pela primeira vez na sua vida. Bem-vinda à experiência humana. Mas nunca mais use o corpo ou as emoções de outra pessoa como um modo de satisfazer seus próprios anseios não-realizados.” :))

    ResponderExcluir

Diz o que achou :)