segunda-feira, 19 de maio de 2014

O mundo é bom


"E quando o sol invade os olhos
É só pra te lembrar
Que o bom da vida
Não tem preço"
(Forfun - Hidropônica)

Quando olhei o rio correndo sereno, tive inveja. Inveja da serenidade e tranquilidade que ele transbordava junto às águas.

Quando vi as árvores ao redor, agradeci a imensidão da natureza. Pensei no quanto esse mundo é grande e no quanto somos pequenos quando damos importância apenas ao que nos cerca.

Quando desci as corredeiras, entendi que há sempre algo mais forte que nós, e é preciso saber respeitar isso. Aprendi que nada impede que duas forças diferentes coexistam em perfeita harmonia se souberem seus limites.

Quando enxerguei a família de quatis descendo pelos galhos, assim como o macaquinho que saltava entre eles, percebi que há tempos havia perdido minha conexão com a natureza. Tão perdida em meus problemas hipócritas...

Quando mergulhei no rio,- depois de achar que estava morrendo afogada - senti que, enfim, havia a resgatado. A água gelada quase congelou meus pulmões e eu tive medo da correnteza, mas entendi que aquilo, aquela natureza toda, também sou eu.

Mas nada, nada mesmo, foi tão intenso como quando o sol chegou. O começo de manhã era frio, a paisagem era acinzentada, mas, de repente, veio o calor. De repente, veio a luz. A luz que bateu nas folhas das árvores, refletiu na água do rio e me fez entender que o bom da vida, meu caro, não tem preço.

A luz que me fez sentir vergonha de achar que os meus “enormes” problemas eram realmente “enormes”. Que fez com que eu me sentisse pequena por, um dia, ter achado que meu mundo ia acabar – seja lá por qual motivo.

 O mundo não acaba, minha filha. O mundo é grande. O mundo é bom.

Enquanto você chora suas dores “incuráveis”, há uma imensidão dele que você não conhece e que não vai desmoronar por lágrima nenhuma – nem sua, nem de ninguém.

E se o seu mundo parecer desmoronar, faz o seguinte: corre pra outro. A vida é tão boa que te dá um trilhão de oportunidades quando uma vai embora. O mundo é tão lindo que te dá centenas de opções para acalanto quando o desespero bate à porta e se instala.

Sabe o chefe irritante, o ex-namorado mala, os problemas com a família, a falta de grana, o carro quebrado, os quilos a mais? São pequenininhos perto da imensidão que a vida oferece. Se importe menos, viva mais.

E se não tiver entendido nada... Sinto muito, você também perdeu sua conexão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Diz o que achou :)